24/04/2015 às 15h57

Funcionários assistem palestra sobre hipertensão arterial sistêmica

Tema foi escolhido devido ao Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão

O dia 26 de abril é o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão, e já antecipando a data o Hospital Augusto de Oliveira Camargo (HAOC) realizou uma palestra sobre o tema, ministrada pela médica nefrologista Elisa Sales Nascimento. A palestra aconteceu na quinta-feira, dia 23 de abril, e faz parte dos eventos mensais promovidos para realizar uma dinâmica diferenciada com os funcionários, além de agregar novos temas e informações.   

Após a palestra foi realizado um sorteio de brinde entre os participantes e oferecido um lanche da tarde.

A Hipertensão Arterial Sistêmica é a mais frequente das doenças cardiovasculares. É também o principal fator de risco para as complicações mais comuns como acidente vascular cerebral e infarto agudo do miocárdio, além da doença renal crônica terminal.

No Brasil são cerca de 17 milhões de portadores de hipertensão arterial, 35% da população de 40 anos e mais. E esse número é crescente; seu aparecimento está cada vez mais precoce e estima-se que cerca de 4% das crianças e adolescentes também sejam portadoras. A carga de doenças representada pela morbimortalidade devida à doença é muito alta e por tudo isso a Hipertensão Arterial é um problema grave de saúde pública no Brasil e no mundo.

Por ser na maior parte do seu curso assintomática, seu diagnóstico e tratamento é frequentemente negligenciado, somando-se a isso a baixa adesão, por parte do paciente, ao tratamento prescrito. Estes são os principais fatores que determinam um controle muito baixo da HAS aos níveis considerados normais em todo o mundo, a despeito dos diversos protocolos e recomendações existentes e maior acesso a medicamentos.

Modificações de estilo de vida são de fundamental importância no processo terapêutico e na prevenção da hipertensão. Alimentação adequada, sobretudo quanto ao consumo de sal, controle do peso, prática de atividade física, tabagismo e uso excessivo de álcool são fatores de risco que devem ser adequadamente abordados e controlados, sem o que, mesmo doses progressivas de medicamentos não resultarão alcançar os níveis recomendados de pressão arterial.

Fonte: Caderno de Atenção Básica – Ministério da Saúde


Galeria de Imagens:

Parceiros

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Revista Digital
Conheça a história da saúde de Indaiatuba e região
Haoc Saúde © 2020 Todos os direitos reservados | Política de privacidade