29/08/2013 às 14h15

Saúde em Pauta - 29 de agosto – Dia Nacional de Combate ao Fumo

Criado em 1986 pela Lei Federal n°. 7.488, o Dia Nacional de Combate ao Fumo, é comemorado em 29 de agosto.

Criado em 1986 pela Lei Federal n°. 7.488, o Dia Nacional de Combate ao Fumo, comemorado em 29 de agosto, tem como objetivo reforçar as ações nacionais de sensibilização e mobilização da população brasileira para os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo tabaco. No Brasil, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) é o órgão do Ministério da Saúde que coordena o Programa Nacional de Controle do Tabagismo. O Programa visa à prevenção e à cessação do tabagismo na população por meio de ações que estimulem a adoção de comportamentos e estilos de vida saudáveis e que contribuam para a redução da incidência e da mortalidade por câncer e doenças tabaco-relacionadas no país.

Dr. Thiago Teixeira Chadid, oncologista do Hospital Augusto de Oliveira Camargo (HAOC) explica por que o fumo é prejudicial à saúde: "A queima do fumo produz uma substância particulada chamada alcatrão. O alcatrão é composto de aproximadamente 40 substâncias cancerígenas entre elas o arsênico, níquel, benzopireno, cádmio, polônio, acetona, naftalina, resíduos de agrotóxicos e até veneno de rato! Durante o ato de fumar, mesmo que a pessoa não "trague" a fumaça, há a inalação de partículas de alcatrão, levando essas substâncias cancerígenas para dentro do corpo de quem fuma e de quem está próximo do fumante".

Desta forma, Dr. Chadid alerta que o fumo é o principal causador de câncer nas pessoas. "Quem fuma tem de 10 a 30 vezes mais chance de desenvolver um câncer. Para exemplificar, 95% dos cânceres de boca, 80% dos de pulmão, 97% dos de laringe e 50% dos cânceres de pele são causados diretamente pelo tabagismo. Além desses, o fumo também causa cânceres de mama, intestino, estômago, pâncreas, rim, bexiga e próstata".

Outro fator importante é que todos os tipos de tabaco tem potencial de causar câncer. Cigarro, cigarro de palha, cachimbo, charuto e mesmo o hábito de mascar fumo são cancerígenos.

O oncologista lembra que o fumante diagnosticado com câncer responderá de forma mais eficaz ao tratamento se deixar o hábito, mesmo que tenha fumado por anos. "Sabemos que há uma relação direta entre a média de cigarros fumados por dia e o risco de desenvolver câncer. Por exemplo, quem fuma de 20 a 40 cigarros por dia por 10 anos ou mais tem 74% de chance de desenvolver câncer de mama e 75% de câncer de pulmão. Contudo, uma vez diagnosticado o câncer, estudos clínicos mostram que quem mantém o hábito de fumar tem menor resposta à quimioterapia e mais efeitos colaterais do tratamento. Assim, manter-se fumando após o diagnóstico reduz a eficácia do tratamento além de torná-lo mais sofrido".

Para mais informações sobre tabagismo acesso o site www.inca.gov.br/tabagismo/.


Galeria de Imagens:

Parceiros

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Revista Digital
Conheça a história da saúde de Indaiatuba e região
Haoc Saúde © 2020 Todos os direitos reservados | Política de privacidade